Infografia é informação gráfica, visual, que existe desde a primeira união comunicativa entre um desenho ou uma pintura enfatizados por um texto.  Nos meios impressos é utilizada desde seus primórdios3 para explicar com maior clareza algum aspecto informativo tratado nos textos. Aparece hoje na Web de duas formas: como informação complementar de uma notícia, geralmente servindo de ilustração para o texto, ou como a própria notícia, a informação principal, o que ainda ocorre em poucos casos.

há um texto da Beatriz Ribas, disponível banco de dados do GJol, que trata especificamente do uso da infografia nos webjornais. quem tiver interesse, deve gastar um tempinho em sua leitura.  Há também o texto “A arte de informar“, do Rodrigo Caixeta, disponível no site da ABI – Associação Brasileira de Imprensa, e que merece ser lido. 

para o professor Alberto Cairo, especialista em design e artes visuais e professor de jornalismo na Universidade da Carolina do Norte, e antigo diretor do departamento de infografia na edição digital do “El Mundo”,  a infografia pode ser como um “gênero jornalístico”, mais adequada do que o texto para transmitir “dados frios”.

Para ele, a infografia significa a apresentação visual de dados, sejam dados estatísticos, sejam mapas ou diagramas. Entretanto ele ressalta que, nem todas as ilustrações são infografias. Para que a ilustração se considere infografia tem que explicar algo, contar uma história, transmitir informação como uma notícia. A infografia é a aplicação das regras do desenho gráfico para contar histórias. Assim, se se contam histórias jornalísticas pelo meio do desenho gráfico, isso é um gênero jornalístico, sem dúvida.

Para o professor, a infografia não é uma linguagem do futuro, é uma linguagem do presente. Tem sido  utilizada desde que existem jornais, praticamente. Será uma linguagem jornalística do futuro? Sim, e será muito utilizada, mas isso não quer dizer que não existam outras linguagens jornalísticas que não serão utilizados em igual medida.

Porém, não dá para penar em publicações apenas baseadas em infográficos. Para Alberto Cairo, a infografia é apenas mais uma linguagem, outra forma de contar histórias. Nem todas as histórias podem contar-se de maneira infográfica, da mesma forma que nem todas as histórias se podem contar bem em texto. Por exemplo, não se pode contar uma história com interesse humano através de uma infografia.  Por outro lado, a infografia é muito melhor para explicar por que é que o um trem descarrilou, por que se chocou, onde chocou, quanta gente morreu, quanta gente está viva. A infografia é muito melhor para transmitir os dados frios, os dados duros.

Para quem quiser ver um pouco mais de infografia, pode-se dar uma olhada no diário colombiano A Semana, de Bogotá.  O que eles fazem por lá é são infografias muito interessantes, mas ainda sem o uso de recursos hipermidiáticos. Também se deve dar uma olhada no site do MediaStorm. Trata-se de uma empresa, prestadora de serviços jornalísticos multimídia para jornais, TVs, revistas ou o que for. Tem uma equipe capacitada para produzir um material multimídia como poucas vezes se vê na rede. A começar pelo menu de navegação da abertura do site.

Aqui temos um exemplo interessante, disponível na rede pelo blog Jornalistas da Web, de uma infografia interativa. É só arrastar os pilotos na posição de chegada e o infográfico calcula o resultado do campeonato. Há um infográfico nos moldes “arraste e cole”  na Agência Brasil. só que lá, o assunto era mais pesado: as relações do trabalho escravo, PIB agrícola e desmatamento.

No Jornal Americano, US Today, temos um outro infográfico interessante:

Em vez de mostrar o que pensam todos os pré-candidatos às eleições dos EUA sobre diversos assuntos, como aquecimento global, impostos, casamento homossexual, guerra no Iraque e saúde, ele faz perguntas ao usuário sobre o que ELE acha desses assuntos. Aí, monta uma tabela mostrando quais candidatos têm opiniões mais próximas com as do usuário.Você pode depois observar cada opinião separadamente, e dar maior peso a um assunto ou a outro.

No G1 – Globo.com, saiu um texto explicando como eles fazem seus infográficos. Leiam o texto e depois visitem alguns infográficos dinâmicos publicados no G1.

A Agência Brasil, oferece uma grande listagem de infográficos. Os infográficos disponíveis podem ser utilizados pelos interessados, desde que citada a fonte.