Busca

FOTO&JORNALISMO

Fazer e pensar o fotojornalismo

Tag

fotografia

Como identificar manipulações em fotos digitais


A revista Scientific American publicou um guia prático com cinco técnicas para a identificação de manipulações em fotos digitais, falando das análises que os especialistas realizam para descobrir traços de alterações em fotografias. O artigo é uma complementação prática de outro sobre o mesmo assunto, publicado no mês pssado.
Via Blog do Gjol

Robert Capa – encontradas fotos e negativos perdidos


Três valises de papelão contendo milhares de negativos foram encontradas no México. Trata-se de um um tesouro cultural do mais alto interesse: as fotos perdidas de Robert Capa da Guerra Civil Espanhola. O  Estadão reportou que:

“Para o pequeno grupo de especialistas em fotografia ciente de sua existência, ela era simplesmente ”a mala mexicana””. E, no panteão dos tesouros culturais modernos perdidos, o objeto possuía a mesma aura mítica dos primeiros manuscritos de Hemingway, que sumiram de uma estação de trem em 1922. A mala – na verdade, um conjunto de três frágeis valises de papelão – continha milhares de negativos de fotos que Robert Capa, um dos pioneiros da fotografia da guerra moderna, fez durante a Guerra Civil Espanhola antes de fugir para os Estados Unidos em 1939, deixando para trás o conteúdo de sua câmara escura em Paris.

Capa supôs que o trabalho fora perdido na invasão nazista – e continuou pensando assim até 1954, quando morreu no Vietnã. Em 1995, no entanto, começou a circular a notícia de que os negativos haviam de algum modo sobrevivido, depois de fazer uma viagem digna de um romance de John le Carré: de Paris a Marselha e então para a Cidade do México, nas mãos de um general e diplomata mexicano que servira sob Pancho Villa.”

Para organizar suas fotos


namexif.jpg
qualquer um que venha a produzir fotografias digitais sabem que organiza-las é um verdadeiro problema. Com muita facilidade se armazenam milhares de imagens cuja classificação não é fácil. Particularmente não sei até hoje porque as câmeras costumam salvar as fotos com um número de imagem gerado automaticamente, o que é uma idéia meio esquisita.

Mas, para nos salvar, a empresa  Digicamsoft  desenvolveu um software gratuito chamado  Namexif  que renomeia as fotografias de forma cronológica: ano- mês – dia – hora – minutos (pode-se personalizar a sequência), como se vê acima.

Link Namefix
Download Namexif!

Jorge Felz – com Mirá

Nokia N82 – um telefone para fotógrafos



A Nokia apresentou, no fim do ano passado, um novo celular – o N82 – desenvolvido especialmente para os entusiastas da fotografia e equipado com GPS. O novo aparelho deve pressionar ainda mais o mercado das câmeras fotográficas, situação que aparece no comercial de apresentação do novo celular.

O N82 (WiFi compatible)tem uma câmera de 5 Megapixels, flash de Xenônio e  lente Carl Zeiss. Para que serve tudo isso? Segundo o fabricante para capturar fotografias, compartilha-las, descobrir lugares e marca-los via GPS para futuros acessos.  O GPS vem com dezenas de mapas pré-instalados e milhões de pontos de interesse: restaurantes, bares, lugares históricos.

O preço, sem impostos deve ficar em torno de 450 euros. Com Mirá

Ver: NokiaN82

Imagens do dia


O jornal inglês, The Guardian, é um dos pioneiros da cobertura 24 horas por dia.  Para quem deseja ver um pouco dessa produção diária, é interessante acessar a seção 24 hours da editoria World do jornal. Esta seção apresenta as  melhores fotos do dia. Para quem faz Fotojornalismo, é quase uma obrigação a visita diária.

A fotografia como ferramenta de transformação social


No fim de setembro, em sala de aula, depois de exaustivamente ver, analisar e refletir sobre a produção fotográfica de profissionais como Catier-Brsson, Sebastião Salgado e de todos os fotógrafos que fizeram parte da FSA nos EUA de 1930, foram distribuídos diversos textos entre os alunos.

A proposta era gerar mais uma grande reflexão em sala para depois, cada um escrever um pequeno artigo sobre o papel do fotojornalismo diante da sociedade, isto é, a idéia era permitir que cada um refletisse um pouco mais sobre o como a fotografia deve funcionar enquanto instrumento de ransformação social.Como só agora ocorreu a corrida atrás destes textos, coloco aqui os endereços dos sites em que os textos podem ser localizados (engraçado, ninguém mais se lembrava disso… só o professor)

Os alunos (manhã e noite) podem formar duplas (duplas, nada de triângulos ou quadrados mágicos) para dar conta, até o dia 22 de novembro, uma quinta-feira, de um artigo sobre as possibilidades da fotografia enquanto instrumento de transformação social. O artigo deverá seguir as normas da ABNT para citações, referências bibliográficas e formatação de texto; ter entre 5 e 10 páginas, espaçamento 1,5 e fonte Times New roman, corpo 12. não é necessário montar capa ou outros elementos pré-textuais. Vejam o template aqui disponível.

A seguir, uma lista de textos para consulta:

 No mais, existem muitos textos disponíveis na Biblioteca (qual foi a última vez que vocês foram até lá para pesqisar?) e a web também pode ser uma boa fonte de pesquisa… mas cuidado, instalei um programa novo, chamado “farejador” que muito me auxilia em detectar cópias mal feitas de trabalhos…

Para finalizar, uma amostra do que pode ser uma fotografia cmo caráter de transformação social. A image, feita na Favela da Maré, sob a Linha Amarela, em uma parte da Vila do Pinheiro, ocupada por moradores de rua,  é de Edmilson Barbosa. 

O autor integra o projeto Imagens do Povo, centro de pesquisa e formação de fotógrafos e documentaristas populares, criado pelo Observatório das Favelas. Os trabalhos podem ser contratados pelo e-mail contato@imagensdopovo.org.br .

Image

Para a CBF, o Brasil ganhou da Colômbia. Mesmo que só por alguns instantes…


Ontem, logo após o primeiro jogo do Brasil pelas eliminatórias da Copa de 2010, a CBF colocou (e manteve por cinco minutos) na sua página na web uma matéria informando que o Brasil havia ganho o jogo por 2 a 1… A matéria dava até os nomes dos jogadores que marcaram: Kaká e Ronaldinho. Pena, mas foi uma bela de uma “barriga” ou uma distração, ou uma sei lá… Pior terá sido se algun desavisado tenha lido a matéria ,  sem ver o jogo… não deve ter entendido nada quando viu o Fantástico.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑