Três valises de papelão contendo milhares de negativos foram encontradas no México. Trata-se de um um tesouro cultural do mais alto interesse: as fotos perdidas de Robert Capa da Guerra Civil Espanhola. O  Estadão reportou que:

“Para o pequeno grupo de especialistas em fotografia ciente de sua existência, ela era simplesmente ”a mala mexicana””. E, no panteão dos tesouros culturais modernos perdidos, o objeto possuía a mesma aura mítica dos primeiros manuscritos de Hemingway, que sumiram de uma estação de trem em 1922. A mala – na verdade, um conjunto de três frágeis valises de papelão – continha milhares de negativos de fotos que Robert Capa, um dos pioneiros da fotografia da guerra moderna, fez durante a Guerra Civil Espanhola antes de fugir para os Estados Unidos em 1939, deixando para trás o conteúdo de sua câmara escura em Paris.

Capa supôs que o trabalho fora perdido na invasão nazista – e continuou pensando assim até 1954, quando morreu no Vietnã. Em 1995, no entanto, começou a circular a notícia de que os negativos haviam de algum modo sobrevivido, depois de fazer uma viagem digna de um romance de John le Carré: de Paris a Marselha e então para a Cidade do México, nas mãos de um general e diplomata mexicano que servira sob Pancho Villa.”